Rachel

Oi Rachel.

Me cortei pensando em você hoje. Não foi automutilação, na verdade eu estava cortando cebolas e cortei o dedo. Acontece que eu penso em você o tempo todo. Te escrevo essa carta com dificuldade pois meus olhos ardem e se fecham sozinhos de tanto chorar. E não foi pelas cebola, e sim porque a lasanha que eu estava tentando fazer era para uma pessoa. De qualquer jeito, a lasanha queimou e eu pedi comida tailandesa.

Então, ja faz 5 meses. Aonde você foi? O que eu fiz de tão mal assim?

Desculpe, não quero falar sobre isso agora, e acredito que você também não. Afinal, 5 meses e nenhuma reposta. Todas as cartas que te escrevi, Rachel. Todo aquele tempo, a tinta da caneta. Tu sabes, gastei pelo menos umas três canetas na carta de ano novo. Sabe? 4 meses atrás.

Estava limpando o sótão e me lembrei de quando nos conhecemos, 6 anos atrás. Tu te lembras?

Era natal e estava acontecendo uma feira no cais. Eu estava lá como jornalista e você como organiz hos

atendent

eu não lembro o que você era na verdade, mas não importava.

O que importa é que naquele natal eu ganhei o melhor presente que eu poderia pedir a deus.

E como podes, Rachel?

Como podes arrancar-me tal alegria exatos 6 anos depois?

Me cansei. Me cansei da espera,da angústia, da falta de informação.

Onde estás, Rachel? E aonde estás, tem alguém?

Tem alguém, com você?

Ou o você que está com alguém não é mais o você que eu amei?

Certamente, o você que esta com alguém, não é o você que me amou.

Além do mais, se não você, quem?

Quem.

Alguém.

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s