Coberta Preta

Eu tentei, doutor. Juro.
Eu me trancava e negava a escuridão. A ignorava, não ousaria olhar para ela.
Pois olhei, doutor, e me conti. Não deixaria meus olhos errantes se contemplarem com as silhuetas de meu quarto, mas, ó doutor, eu o fiz.
Olhei e então me senti deslumbrado.
Na escuridão, doutor, me dizia de olhos fechados com raiva:
Não pense em ideias distorcidas.
Não pense em ideias distorcidas.
Não pense.
Oh.

Advertisements

One thought on “Coberta Preta

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s